Por que praticar a escuta ativa e como inseri-la em nossa rotina

Por que praticar a escuta ativa e como inseri-la em nossa rotina

9 de agosto de 2019 Sem categoria 0
escuta ativa

Através da comunicação, nós, seres humanos, somos capazes de transmitir informações, mas também de adquirir novos conhecimentos.

Contudo grande parte das pessoas não consegue estabelecer um diálogo eficaz. Ou seja, a fala não é assimilada e interpretada de forma correta, seja por falta de concentração, excesso de dados, entre outros fatores, que lhes impedem de criar uma conexão verdadeira com aquele que fala.

Diante disso, para que consigamos caminhar na direção da mudança deste cenário, hoje vamos falar um pouco mais sobre a escuta ativa e como você pode desenvolvê-la na sua vida profissional e pessoal.

O que é escuta ativa?

A escuta ativa consiste, não apenas em ouvir, mas em compreender e interpretar com atenção as informações recebidas, sejam elas verbais ou não-verbais.

Praticar a escuta ativa não quer dizer que você está concordando ou apenas recebendo informações passivamente. E sim, que está compreendendo, permitindo se colocando no lugar do outro e absorvendo atenciosamente o que ele transmite até chegar o momento de se expressar.

Quais os benefícios da escuta ativa? 

A prática da escuta ativa pode trazer inúmeros benefícios para pessoas que querem investir no autodesenvolvimento e autoconhecimento. Sendo eles:

  • Promove o relacionamento interpessoal desenvolvendo um ambiente fértil para que todos tenham relações saudáveis.
  • Minimiza os conflitos a partir do momento que todos passam a ouvir, na essência, o que o outro está dizendo, reduzindo os mal-entendidos.
  • Gera confiança ao demonstrar interesse genuíno pelo o que o outro está dizendo, pela mensagem que ele quer passar, faz com que ele confie cada vez mais em você.
  • Promove o trabalho em equipe com diálogo claro, transparente e objetivo evitando problemas e conflitos.
  • Permite apreciar o outro com autêntica curiosidade e respeito, possibilitando se maravilhar com as informações que podem vir do outro e/ou de uma nova visão apresentada.
  • Desenvolve a empatia ao entender verdadeiramente entende o que se passa com o outro e faz com que a relação flua da melhor maneira possível.

Como trabalhar a escuta ativa?

1. Mantenha o foco no aqui e agora

Evitar distrações é o primeiro passo para poder se concentrar no diálogo e, assim, praticar a escuta ativa.

Quanto mais você demonstrar que está atento ao seu interlocutor, mais ele vai se sentir seguro ao falar com você.

2. Atente-se para a linguagem verbal e não verbal de quem fala

Para que o interlocutor se expresse como deseja, mantenha contato visual e deixe-o à vontade para se comunicar.

E importante, atentar-se também às suas expressões faciais, gestos, postura e tom de voz.

Cerca de 65% a 80% do processo comunicativo se dá por canais não verbais. Por isso, tão importante quanto escutar é demonstrar que está escutando.

3. Evite julgamentos

Perspectivas pessoais não devem ser levadas em consideração nesse momento de escuta.

Como um exercício, você precisa evitar que suas visões pessoais venham a interferir na empatia que estabeleceu com o interlocutor no processo de comunicação.

Em outras palavras, não julgue e evite tirar conclusões precipitadas sobre as informações repassadas. Permita a experiência de conhecer uma nova perspectiva para assuntos que talvez você já tenha conhecimento prévio.

4. Dê o tempo necessário para a fala

A pessoa que está falando precisa concluir seu raciocínio sem ser interrompida.

Embora algumas pessoas acreditem que concluir pensamentos antes que o interlocutor os finalize é ser proativo, na verdade elas estão demonstrando um comportamento desrespeitoso.

Tenha em mente sempre que escuta ativa é mostrar interesse no momento presente do diálogo.

5. Evite selecionar apenas o que lhe é interessante

Para aperfeiçoar ainda mais sua escuta ativa, faça o exercício de tentar não ser seletivo ao ouvir a fala do outro.

Concentre sua atenção e foco em todo o discurso, absorvendo completamente as informações transmitidas.

6. Faça perguntas

Quando você realiza perguntas e ainda usa trechos da fala, o outro pode se certificar de que a mensagem necessária está sendo mesmo entregue e assimilada.

Além disso, perguntas satisfazem a curiosidade pelo outro e funcionam como uma forma de confirmar que você entendeu a mensagem corretamente e como uma oportunidade de coletar ainda mais informações.

7. Se coloque no lugar do outro

O ser humano é único em sua essência, por isso, nem todo mundo pensa igual ou teve as mesmas experiências e vivências que você.

Por isso, tenha em mente que a escuta ativa é uma técnica capaz de ajudar, também, a você, com a prática da empatia.

8. Dê o seu feedback ao final da conversa

Procure fazer elogios ou, então, críticas construtivas. Assim, a pessoa entenderá melhor sobre como assimilou o conteúdo da conversa e conseguirá identificar pontos para melhorar a sua comunicação verbal e não verbal.

A escuta ativa pode contribuir tanto vida pessoal quanto profissional

Muitas informações valiosas são perdidas durante o processo de comunicação pela falta de escuta ativa.

Mas, para as empresas, por exemplo, essa falha de comunicação pode levar a graves prejuízos para liderança, equipes, e até mesmo para o negócio como a perda de clientes insatisfeitos.

Entretanto, do ponto de vista pessoal, a escuta ativa nos dar a oportunidade de mantermos nossas relações baseada em confiança e cumplicidade. Sejam com amigos, pais, filhos, e outras pessoas próximas a quem temos apreço.

Se você busca por conteúdos de desenvolvimento pessoal, confira a nossa lista de livros. São quatro indicações de leituras sobre formas de nos mantermos autoconscientes em diferentes situações na vida.

Até a próxima!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *