Por que conquistar um comportamento alimentar saudável

Por que conquistar um comportamento alimentar saudável

11 de outubro de 2019 Sem categoria 0
Por que conquistar um comportamento alimentar saudável

Apesar de ser destacada como essencial para a sustentação da vida, muitas vezes não damos a devida atenção à alimentação. Porém, ela traduz o que somos, e muitos dos nossos problemas físicos e emocionais são reflexos dela.

Segundo Fernanda Máris Furtado, nutricionista e parceira da palestra Comer Sem Culpa Nem Desculpas, “a alimentação está diretamente ligada à saúde e performance do cérebro. Além dos nutrientes para seu bom funcionamento, as emoções que os alimentos evocam e a forma como lidamos com tudo isso estão intimamente ligados”.

Ademais, desinformação e a falta de percepção podem agravar a situação. Ou seja, uma pessoa que não compreende o real motivo de um distúrbio alimentar, acaba persistindo na ideia de que necessita de uma dieta para alcançar um padrão desejado. E, tende a lidar com sua resistência em admitir o problema, que é permeado pela culpa e vergonha.

Diante desse cenário, adotar um comportamento alimentar saudável pode significar, além da alimentação equilibrada, um processo de auto-observação e inserção de um novo hábito na rotina.

Quais os sintomas emocionais relacionados ao descontrole alimentar

Pessoas que se sentem incapaz de parar de comer mesmo quando já estão saciados vivenciam sentimentos de angústia e arrependimento. E em alguns casos, a pessoa acabada entrando em um ciclo de culpa e autodepreciação.

Entre os sintomas emocionais, é possível destacar:

  • Arrependimento, culpa, vergonha e constrangimento após a crise;
  • Baixa autoestima e distorção de imagem;
  • Depressão, ansiedade, e distúrbios psicológicos;
  • Inibição e fuga de eventos sociais que o expõe a comida.

Contudo, esses sintomas emocionais também podem estar associados a outros distúrbios e doenças. Por isso, mais do que tratar eles pontualmente, é primordial identificar os agentes causadores.

Os benefícios de uma alimentação equilibrada para o organismo

Cada parte do nosso organismo demanda nutrientes específicos para o seu funcionamento adequado. Como sabemos, as contribuições são diversas, entre elas: melhora do sistema imunológico, equilíbrio hormonal, qualidade do sono e disposição.

Entretanto, estudos também comprovam os benefícios da alimentação para a saúde mental a partir da ingestão de nutrientes que favorecem os processos químicos que ocorrem no cérebro.

Por exemplo: as fibras podem aumentar a atenção e diminuir a sensibilidade ao estresse, a vitamina C pode reduzir a indisposição e a ansiedade, as vitaminas B3 e B6 podem regular confusões mentais e insônia, etc.

Em outras palavras, a alimentação pode ser fator crucial para prevenção e incidência de transtornos mentais. Sobretudo, pode contribuir para que o cérebro responda positivamente a diversos estímulos externos.

A prática da consciência alimentar no dia-a-dia

Ao referirmos sobre consciência alimentar, estamos evidenciando diferentes processos como atenção plena, poder de escolha, e consciência sobre a influência da má alimentação.

Por isso, concentre-se nas refeições, evitando fazer outra atividade simultaneamente. Mantenha a atenção plena a este momento de ingestão do alimento.

Procure fazer as suas refeições na mesa e coloque a comida em um prato. Ao comermos sentados e atentos saboreamos mais e melhor as nossas refeições. E ao evitar pacotes e embalagens conseguimos definir melhor a proporção de alimento.

Ao longo do dia, para que não passe muito tempo sem comer, nem pule refeições, leve sempre um snack saudável na bolsa, evitando assim a fome descontrolada e/ou comer algo por impulso por ser a única alternativa.

Por fim, não atribua à comida um valor simbólico, usando-a como recompensa ou castigo, aconchego ou equivalente ao amor. E, perceba as suas motivações ao comer, distinguindo a fome física da fome emocional. As nossas necessidades emocionais são satisfeitas com sentimentos não com alimentos.

Bem-estar mental e comportamento alimentar

O Brasil apresenta números significativos de casos de depressão e ansiedade no Brasil segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). E o equilíbrio psicológico e mental pode estar relacionado às nossas formas de pensar, de fazer escolhas, e de agir.

Sendo assim, compreendemos a importância de conversar sobre alguns aspectos do comportamento alimentar e dar visibilidade sobre estratégias práticas que podem fazer diferença, em termos de autoconhecimento e autocuidado.

Como afirma nossa parceira, Fernanda Máris Furtado: “Em tempos de tantas informações desencontradas, terrorismos e achismos – é preciso cuidar de nossa alimentação e nutrição com responsabilidade. Certifique-se sobre as origens e a veracidade das informações que você aceita!”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *