Meditação ativa e passiva: Praticando atenção plena

Meditação ativa e passiva: Praticando atenção plena

18 de outubro de 2019 Sem categoria 0
meditação ativa

Em tempos que a vida se torna cada vez mais agitada, a mente humana se sobrecarrega de expectativas e acaba por não dar conta de processar tudo aquilo que passa. Como resultado, estresse, ansiedade, síndromes psíquicas e autopunição afligem pessoas todos os dias.

Para equilibrar esse turbilhão de pensamentos de quem vive uma rotina agitada, terapias alternativas como a meditação ativa, meditação passiva, e mindfulness apresentam resultados significativos.

Neste artigo, você vai saber mais sobre a meditação ativa e as diferenças entre meditação passiva, além de descobrir as principais vantagens dessa técnica.

Qual a diferença entre meditação ativa e meditação passiva?

Quando pensamos em meditação, é comum imaginarmos uma pessoa extremamente calma e silenciosa, sentada de pernas cruzadas, e praticamente imóvel.

De fato, muitas vezes a meditação foca mais na respiração e concentração mental do que nos movimentos e, por isso, tal prática pode ser difícil para aqueles mais ansiosos e impacientes.

No entanto, esse tipo de pensamento restringe, de forma equivocada, as modalidades de meditação.

  • A meditação ativa

As meditações ativas são baseadas na liberação e na expansão de emoções. Isso é feito por meio de muitos movimentos do corpo, atividades físicas e expressões verbais. Tal tipo de prática utiliza mais a imaginação ativa e a mente para criar uma mudança interna a partir da consciência.

Também conhecida como “meditação dinâmica”, ela foi difundida no ocidente pelo famoso guru Osho, que procurou, assim, quebrar velhos padrões e barreiras que impediam as pessoas mais inquietas de procurar a meditação. Por isso, não se engane: gritar, dançar, pular e mover-se, de forma livre, também pode ser uma forma de meditar.

  • A meditação passiva

A meditação passiva é caracterizada como a entrada em um estado mental no qual o corpo pode restaurar sua energia e acessar sua paz interior. Normalmente, a prática envolve uma postura única e procura aquietar a mente, acalmando-a das distrações e preocupações excessivas.

As técnicas meditativas que trabalham a respiração, a visualização, a concentração e o relaxamento do corpo como um todo, sem a execução de movimentos bruscos, são alguns exemplos de práticas de meditação passiva.

Vantagens da meditação ativa

Existem muitas vantagens na meditação ativa, uma delas é o fato de que pode ser praticada em qualquer lugar, a qualquer hora, sem a necessidade de música ou total concentração. Mas, além disso você perceberá também:

  • Mais disposição no dia a dia;
  • Mais energia;
  • Redução de dores;
  • Melhora no sono;
  • Aumento na capacidade criativa;
  • Autoconhecimento;
  • Aumenta a confiança;
  • Reduz a ansiedade;
  • Melhora nas relações interpessoais;
  • Sensação de bem-estar;
  • Sensação de clareza na mente.

Como aplicar a meditação ativa no dia a dia?

A meditação ativa é estar num estado de presença, atento ao momento presente e à respiração.

E esse estado de atenção plena pode ser praticado durante o banho, na refeição, escovando os dentes, arrumando a cama, tomando café da manhã, etc. A seguir listamos algumas formas de praticá-la no seu dia a dia.

1. Meditar enquanto caminha

Aqui, começamos nos dando conta do esforço que fazemos ao levantar a perna, olhe como seu pé toca o chão, qual a pressão que faz, onde essa pressão começa, como está sua respiração, tente olhar amplamente tudo ao seu redor, se sinta parte da paisagem.

Preste atenção em cada sensação. O principal nesse contexto é estar totalmente presente no momento. Você pode começar indo de um trecho a outro, andando bem lentamente, em um lugar fechado também.

2. Meditar no trabalho

Para tomar consciência do momento presente, você pode utilizar os primeiros minutos no ambiente de trabalho para se situar, estruturar o dia, para planejar suas próximas tarefas.

Essa prática tornará o seu dia mais organizado e você poderá experimentar uma sensação de maior concentração no momento que estiver executando as tarefas.

3. Meditação ativa em atividades simples

Escovar os dentes todos fazem, mas normalmente pensando em outras coisas. Aproveite esse momento e foque a sua mente no ato de escovar. Perceba cada dente sendo escovado e o movimento que você faz com a escova.

Perceba o gosto da pasta de dente, o enxágue na boca. São nesses pequenos atos que percebemos como fazemos muitas coisas no piloto automático.

Nas refeições, desligue a TV, o rádio, o celular e deixe de lado qualquer coisa que possa tirar a sua atenção. Seja uma revista, um tablet ou livro. Concentre-se no que está comendo e sinta o gosto do alimento a cada mordida. Não deixe que informações externas interfiram nesse momento. Redescubra como é bom se alimentar de forma consciente.

A meditação ativa e o mindfulness

É importante ter em mente que existem técnicas diferentes tanto para a meditação ativa quanto a passiva. Porém, ambas exigem consistência em suas práticas para que possam ser realmente eficazes.

Na Sensis, promovemos o Workshop Mindfulness – Introdução à prática, voltado ao aprendizado sobre a atenção plena, bem como formas práticas de integrá-las nas atividades do dia a dia, através do autoconhecimento e da conscientização de como a mente funciona.

Se você está adotando outro método, compartilhe conosco a sua experiência aqui nos comentários!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *